terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A IDADE DA TERRA


.

Uma das questões que sempre tem preocupado os grandes pensadores, é o de saber a idade da Terra.
É célebre o documento de 1650, produzido por um tal arcebispo Hussher, onde era deduzida a idade da Terra, baseada na Bíblia e textos afins.
De acordo com a Bíblia, Deus criou o primeiro homem, Adão, ao sexto dia da existência da Terra, também por ele criada. Tendo levado em linha de conta as gerações descritas no Génesis, de Adão até Abraão, calculou a idade da Terra, em 5610 anos, até à data da publicação do escrito. E concluía que Deus tinha feito o nosso planeta no dia 26 de Outubro de 4004 a. C., às nove da manhã!
Mas nesse tempo não era possível abordar a questão sob um ponto de vista científico, baseado na geologia, na tectónica das placas e no método de datação das rochas por intermédio das características dos minerais radioactivos.
Muito menos na astrogeologia, que permite analisar meteoritos provenientes de várias regiões do Sistema Solar e compará-los com as rochas do nosso planeta.
Assim, os estudos levaram a concluir que a Terra deva ter cerca de 4,6 mil milhões de anos de existência, apenas um pouco menos do que a idade do Sol.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

GALILEU GALILEI

imagem google

A primeira luneta astronómica de que há memória, foi construída por Galileu Galilei. 
Tratava-se dum aparelho óptico rudimentar, que pode ser considerado o percursor dos modernos telescópios. O mês de Janeiro de 1604 ficou para a história da astronomia, como a data em que, através dela, o célebre sábio de Florença descobriu as quatro mais importantes luas de Júpiter – Io, Europa, Ganimedes e Calisto, por ordem de proximidade ao planeta. Também foi ele o primeiro a provar a realidade do sistema heliocêntrico (que tinha sido proposto por Copérnico), refutando a antiga crença de que a Terra era o centro do Sistema Solar e do Universo. Para além disto, nos domínios da astronomia –, foi ele o primeiro a observar e calcular a altura das montanhas da Lua, baseando-se nas sombras que o Sol projecta nas suas crateras, e a verificar a existência de fases, no planeta Vénus, à imagem do que se passa com as conhecidas fases do nosso satélite natural. O céu que observara através da luneta, também lhe permitiu concluir que a Via Láctea não era uma nuvem (como até aí se julgava), mas sim um enorme conjunto de estrelas, a galáxia de que o Sol faz parte.
Hoje sabe-se que esse número é superior a duzentas mil milhões (200. 000. 000. 000).

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

a galáxia mais antiga


 .
Depois do Big Bang, que se julga ter acontecido há cerca de 13,7 mil milhões de anos, começaram a formar-se as estrelas e as galáxias, embora ainda não se saiba ao certo, quando isso começou a acontecer.
No entanto, surge agora a notícia da descoberta duma galáxia existente desde uns 480 milhões de anos, depois do começo do nosso actual universo – a mais antiga até agora detectada. A imagem que nos chega, é a de como ela era, nesse tempo.
A descoberta foi realizada utilizando uma câmara de infravermelhos.
O que os astrónomos procuram, neste momento, é saber o que aconteceu no período de formação desses primeiros objectos, ou seja, nos primeiros 500 milhões de anos da existência do universo.
Isso virá a ser possível quando entrar em operações um novo telescópio espacial, o Webb, em 2014, que irá substituir o Hubble.