quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

ESTRELAS PRÓXIMAS DO SOL


.
click para aumentar - imagem google
A possibilidade de haver estrelas próximas com condições para terem desenvolvido vida superior, são escassas, por várias e muitas razões de ordem astronómica.
Uma das mais próximas do Sistema Solar é a Estrela de Barnard (uma anã vermelha, sem condições para albergar vida como a que temos por cá). A seguir vem o Sistema de Centauro, com três estrelas que gravitam entre si. Uma dessas estrelas é a Próxima, a que chega mais perto de nós. Uma outra é relativamente parecida com o Sol, mas o facto de gravitarem entre si, é muito limitativo, para a vida. Das que vêm depois, por ordem de distância, a mais interessante é a épsilon de Eridanus, a 10,5 anos-luz, também semelhante ao Sol, embora muito mais jovem.
Mais longe, já a mais de 12 anos-luz, está a tau Ceti.
Das que aparecem no diagrama, mercê da sua idade, talha e género, apenas a τ Ceti (deficiente em metais, o que é uma forte limitação), e a ɛ de Eridanus, são consideradas como eventualmente poderem ter planetas semelhantes aos planetas rochosos do Sistema Solar e, algum, semelhante à Terra, podendo albergar (clicar) vida superior e (tecnológica?), agora, ou no futuro.

sábado, 7 de janeiro de 2012

ANÃS-CASTANHAS


O Universo está cheio de corpos muito estranhos!
Agora foram descobertas estrelas anãs castanhas.
São estranhas porque, em termos de temperatura, ficam a meio caminho entre as estrelas propriamente ditas… e os planetas. Podem considerar-se “estrelas falhadas”.
A sua massa varia entre 0,013 e 0,080 da massa solar, insuficiente, portanto, para desencadear a fusão nuclear, queimando hidrogénio, libertando grandes quantidades de energia e produzindo hélio.
Só puderam ser detectadas com o telescópio Spitzer, que recorre aos infravermelhos. Agora, depois de já terem sido detectadas centenas delas, o Spitzer descobriu uma proto-anã, na nuvem escura denominada Barnard 213, na região entre a constelação do Touro e a do Cocheiro.
.
Imagem Google