terça-feira, 6 de agosto de 2013

O GRANDE COMETA DE 1680


O Grande Cometa de 1680, sobre Amesterdão (pintura da época)
O ano de 1680 trouxe um grande cometa aos céus da Terra.
Teve a particularidade de ser o 1º a ser descoberto por telescópio, e ter sido utilizado por Newton para testar as leis de Kepler. Chegou a ser visível à luz do dia! No dia 14 de Novembro estava à mais curta distância da Terra (cerca de 0,40 U. A.). O seu mais intenso brilho foi um mês depois, e foi visível até Março do ano seguinte.
O esperado Ison tem muitas características idênticas a este (um sungrazing) mas, por certo, não é o mesmo.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A COMPOSIÇÃO DO COMETA ISON


-
O anidrido carbónico é um dos gases que compõem o corpo do cometa. Desde Junho que isso se tornou claro, para os astrónomos que lhe seguem o rasto. Juntamente com as poeiras que também expulsa do seu núcleo, formou-se uma cauda que mede mais de 300 mil kms. Assim, as estimativas apontam para uma emissão diária de cerca dum milhão de quilos desse gás, e uns 50 quilos de poeiras.
O Ison, que deve ter uns 5 quilómetros de envergadura, além do anidrido carbónico e das poeiras, contém água, metano e amoníaco que, como é sabido, são alguns dos mais importantes pilares da vida.