sábado, 20 de fevereiro de 2010

ESTRELA de BARNARD




Quando olhamos para o céu nocturno, parece-nos que todas as estrelas estão estáticas.
Se vão mudando de posição é apenas porque todo o firmamento parece rodar, num todo.
Mas, de facto, assim não é. Só que os seus deslocamentos são tão pequenos que não nos são perceptíveis.
Sabe-se, por exemplo, que a Estrela Polar se está continuamente a afastar do Norte e que dentro duns milhares de anos já não servirá minimamente para indicar esse ponto cardeal.
Mas já em 1718, Edmond Hallley observara que a estrela Arcturus, tinha mudado de posição em cerca de 1 grau, em relação à medição que tinha sido feita por Ptolomeu, um astrónomo, matemático e geógrafo grego, do século II.
A Estrela de Barnard (descoberta por Edward Barnard, em 1916), é a que mais rapidamente parece deslocar-se no céu. E na verdade, tem um movimento próprio de 10 segundos de arco, por ano. Encontra-se a quase 6 anos-luz e é, a seguir às estrelas da Alfa Centauro, a mais próxima de nós. Mas é muito ténue (um centésimo da luminosidade intrínseca do Sol) e só pode ser vista com meios ópticos. É uma estrela anã vermelha tipo M5. Dentro de cerca de 8.000 anos será a estrela mais próxima do Sistema Solar.
Postar um comentário