segunda-feira, 25 de junho de 2007

A URSA MENOR (conclusão)

CONCLUSÃO DA POSTAGEM DE 19 DE JUNHO
.
A mãe arranjou um estratagema para iludir Cronos, e salvar o filho (que haveria de ser Zeus): meteu uma pedra nas fraldas do recém-nascido! Cronos pensou que fosse o filho e engoliu-o dum trago. A essa hora já Zeus estava longe, em Creta, onde umas ninfas cuidavam dele. Porém havia um problema, que era o choro de bebé. A imaginação desses nossos venerandos antepassados da Antiguidade Grega, inventou uma maneira de evitar que Cronos ouvisse esse choro da criancinha: colocaram guardas muito barulhentos à entrada da caverna onde as ninfas o protegiam, para que Cronos nada ouvisse! Conta a história que, mais tarde, sendo Zeus já adulto, encetou uma guerra contra o pai e os Titãs. Tendo ganho a guerra, obrigou Cronos, a regurgitar os irmãos que tinha engolido. E passaram a ser eles, os novos deuses do Olimpo.
Uma das deusa é Ida, que no céu ficou representada pela Ursa Menor; a outra é Adrastea, representada pela Ursa Maior!