segunda-feira, 15 de março de 2010

A RADIAÇÃO SOLAR

O Sol #2


A radiação solar não é apenas a luz solar visível, aquela que dá forma às árvores, aos horizontes, ao mar, a todos os objectos que nós somos capazes de observar, durante o dia. Ela incluí, também, a luz solar invisível aos nossos olhos e os raios cósmicos provenientes do Sol. Há ainda a considerar o neutrino, essa partícula ínfima e fantasmagórica, que hoje se sabe possuir massa.
A natureza da radiação é um assunto da maior importância para a compreensão do mundo em que vivemos. Não só do nosso universo macrofísico (o nosso mundo das realidades mais palpáveis e comuns do dia a dia, e do comportamento de corpos de grande massa, como as estrelas), mas também para a compreensão dos fenómenos ditos do infinitamente pequeno.
Foi o físico alemão Albert Einstein (1879–1955), quem descobriu que a velocidade da luz é constante, seja qual for o movimento do sistema no qual é medida. Essa e outras teorias respeitando o comportamento e a natureza da luz, revolucionaram a física moderna.
De qualquer maneira, a luz ou as suas manifestações ou aplicações dominam a nossa vida quotidiana, e isso acontece desde sempre.
Isaac Newton, no ano já distante de 1704, tinha-a descrito como uma "torrente de crepúsculos", para explicar certas propriedades do raio luminoso que, segundo o físico e astrónomo holandês Christiaan Huygens (1629–1695) se propaga em ondas, antecipando de dois séculos, o conhecimento que, hoje, dela temos.
Compreender a luz solar, é compreender um pouco das nossas vidas e a vida de toda a Terra. Esta vida que nós conhecemos não era possível sem ela, pois é dela que as plantas tiram a energia para realizar a fotossíntese, absorver e transformar os nutrientes, crescer e desenvolver-se.
Postar um comentário