domingo, 15 de dezembro de 2013

CONSTELAÇÃO DO DRAGÃO (II)


Na imagem pode ver-se O Dragão (Draco), as duas Ursas e outras.


A par de numerosas estrelas duplas que se podem ver na constelação, há a registar também várias nebulosas, como a Olho de Gato, a 3 mil anos-luz, descoberta no já longínquo ano de 1786, por Herschel, e outras galáxias distantes: a lenticular NGC 5866, a PGC 39058 e a PGC 39058, já a milhões de anos-luz. 
Mas há outros interessantes objectos, como os enxames de galáxias, dos quais sobressai o Abell 2218, a 3 mil milhões de anos-luz, e as galáxias interactivas, ou seja, que se fundem entre si. Está neste caso a Arp 288, a 429 milhões de anos-luz.
Na constelação também se pode observar um quasar, que é o mais distante objecto observável com um telescópio de amadores, e a sua luz chega até nós, mais de 8 mil milhões de anos, depois de ter sido enviada!


Postar um comentário